tr?id=287503758982673&ev=PageView&noscript=1

Artigos Científicos ZEROSODIO

Ingestão de potássio na dieta e mortalidade por acidente vascular cerebral

A observação humana e experimentação em animais vem sugerindo que o aumento da ingestão de potássio pode oferecer proteção contra o acidente vascular cerebral.

Para analisar mais a fundo a associação da ingestão alimentar de potássio com a mortalidade por acidente vascular cerebral em uma população mais ampla, examinamos a experiência dos participantes da primeira Pesquisa Nacional sobre Saúde e Nutrição (National Health and Nutrition Examination Survey – NHANES I). Nesta população de 9.866 indivíduos, relacionamos a ingestão basal de potássio medida por métodos quantitativos padronizados em 1971–1975 com a mortalidade por AVC em 1992. Baixe o artigo completo (inglês).

 

Baixar Arquivo

Potássio: Uma perspectiva

O potássio (K) é um mineral e eletrólito dietético essencial, que conduz eletricidade no corpo, junto com o sódio, o cloreto, o cálcio e o magnésio.

O potássio é necessário para o funcionamento de todas as células vivas e, portanto, está presente em todos os tecidos vegetais e animais.

A função normal do corpo depende de uma regulação precisa das concentrações de potássio, tanto dentro quanto fora das células. Baixe o artigo completo sobre a função do potássio no organismo (inglês).

Baixar Arquivo

O potássio como elemento essencial

O potássio é um elemento essencial, necessário para um grande número de regulações fisiológicas de tipo osmolar e eletrolítica (Oh e Uribarri 1999; Institute of Medicine [IOM] 2004). Encontra-se amplamente disponível nos alimentos, e a deficiência é mais provável de ser causada por insuficiência renal do que por ingestão insuficiente (McLaren 1999; IOM 2004). Entre as manifestações da deficiência de potássio estão: fraqueza muscular, insuficiência respiratória, hipotensão e anormalidades eletrocardiográficas. Baixe o artigo completo (inglês).

Baixar Arquivo

Excreção urinária de sódio e potássio e risco de eventos cardiovasculares

Há incerteza quanto à ingestão diária ideal de sódio, que confere maior proteção contra o risco de doenças cardiovasculares (CV). A Organização Mundial da Saúde recomenda uma ingestão diária de até 2 g, um nível baseado predominantemente em projeções obtidas a partir de ensaios clínicos relativamente pequenos e de curto prazo avaliando os efeitos da restrição de sódio na pressão arterial em populações de prevenção primária. No entanto, resultados de estudos de coorte prospectivos, que avaliaram a associação entre a ingestão de sódio e eventos CV, têm sido conflitantes. Por exemplo, embora algumas pesquisas tenham constatado uma associação positiva entre a ingestão de sódio e a mortalidade CV,4-7 outros não refletem essas conclusões,8-11 enquanto outros ainda revelam uma associação inversa. Baixe o artigo completo (inglês).

Baixar Arquivo

Nível de potássio sérico e ingestão de potássio alimentar como fatores de risco para acidente vascular cerebral

Diversos estudos associaram uma baixa ingestão de potássio e baixa concentração de potássio sérico como fatores de risco para mortalidade por AVC.1-6 Um dos estudos mais expressivos nesse sentido consistiu em uma série prospectiva, realizada ao longo de 12 anos com mais de 800 indivíduos, em que aqueles no tercil mais baixo de ingestão de potássio tiveram mortalidade por acidente vascular cerebral notadamente maior. Para mais informações, baixe o artigo completo (inglês).

Baixar Arquivo

Ingestão alimentar de potássio e risco de AVC em homens e mulheres

Estudos epidemiológicos observacionais indicaram uma associação inversa entre a ingestão alimentar de potássio e o nível de pressão arterial dentro de e entre populações.1 Além disso, ensaios clínicos randomizados observaram que a suplementação de potássio reduz a pressão arterial em pessoas hipertensas e normotensas.2 Alguns estudos indicaram que a suplementação de potássio para a redução da pressão arterial pode ser mais eficaz em pessoas que possuem uma dieta com baixo teor de potássio.3 Ensaios clínicos também demonstraram que uma baixa ingestão de potássio na dieta aumenta a pressão arterial.4 Considerando-se que o nível da pressão arterial é um importante fator de risco para doenças cardiovasculares, particularmente o acidente vascular cerebral, a ingestão alimentar de potássio pode estar inversamente relacionada ao risco de doença cardiovascular através da pressão arterial.
Baixe o artigo completo (inglês).

Baixar Arquivo

Estudo prospectivo da ingestão de cálcio, potássio e magnésio e risco de derrame em mulheres

Em estudos observacionais, a ingestão de cálcio,1,2 potássio,3 e magnésio2,4,5 foi inversamente associada à pressão arterial ou ao risco de hipertensão; os ensaios clínicos6–10 indicam que o potássio tem os efeitos hipotensores mais acentuados. A alta ingestão desses cátions pode prevenir o AVC porque a hipertensão é um importante fator de risco para o AVC.11 Além disso, experimentos com animais sugerem mecanismos adicionais para esses cátions na prevenção do AVC.12-18 A mortalidade por AVC em ratos foi reduzida após suplementação com cálcio19 e potássio,16 mas não com magnésio.18 Apenas alguns estudos prospectivos abordaram a relação entre a ingestão desses cátions e o risco de acidente vascular cerebral, e os dados em mulheres são escassos.20,21 Uma relação inversa entre a ingestão de cálcio em homens nipo-americanos.20 Uma relação inversa entre a ingestão de potássio e o risco de acidente vascular cerebral foi observada em estudos de homens e mulheres americanos brancos,21 homens nipo-americanos,22 e profissionais de saúde do sexo masculino nos EUA. Baixe o artigo para ler o estudo completo (inglês).

Baixar Arquivo

Fale com a gente!

Deixe seu nome e telefone que entramos em contato com você.